Crítica: A Fera

Dener Andrade

A Fera é o novo filme em que nosso maravilhoso Idris Elba sai no “mano a mano” com um
gigantesco e louco Leão.
O longa, lançado hoje, 11 de agosto, conta com a direção do Islandes Baltasar Kormákur,
também responsável por: Sobrevivente (2012), Dose Dupla (2013), Vidas à Deriva
(2018), dentre outras obras.
Perdas
A história começa com o Dr. Nate Samuels (Idris Elba), faz uma viagem para África com
suas duas filhas, Norah (Leah Jeffries) e Meredith (Iyana Halley), na tentativa de se
reconectar com as jovens, devido ao fato de sua mãe ter falecido de câncer. Uma relação
que já havia terminado antes mesmo do câncer surgir deixa mágoas e feridas até hoje.
Ao chegarem na vila eles são recebidos por Martin (Sharlto Copley), um amigo dos pais
das meninas, que hoje trabalha na proteção do ambiental e dos animais, já que ainda nos
dias de hoje, ainda existem caçadores de animais selvagens.
Excursão
Tio Martin, leva a família para um passeio na Savana, mas nem tudo será paisagens
maravilhosas e animais fofos. O grupo em um momento se veem encurralados por uma
fera, o rei da selva, um aterrorizante leão que está enfurecido e persegue a família.
O diretor foi muito assertivo no elenco e na história quando falamos nas cenas de ataques,
me fez levar alguns sustos, fiquei tenso várias vezes, não tirei os olhos da tela, o que é algo
maravilhoso.
Drama familiar
No entanto, o drama familiar é muito mal construído, muitas brigas em momentos que na
vida real não iam acontecer, pois tem um leão louco querendo te matar. As crianças são
chatas de tantas brigas e implicâncias
Acredito que isso foi o que mais prejudicou o filme, nem o CGI, que por sinal estava lindo,
não me incomodou, e olha que sou um pouco chato.
Pontuações finais de A Fera
Idris estava maravilhoso, e claro que o diretor para dar um toque de salvador/protetor de
uma família que não aguenta mais sofrer, tem uma luta épica com o leão, deixando a visão
do personagem que tenta se redimir com suas filhas.
A produção é muito boa no final, mesmo com as investidas inapropriadas das meninas a
discutir com seu pai, enquanto um leão as rodeia. Sim, estou até agora incrédulo que o
diretor deixou acontecer alguns diálogos. Espero que goste deste filme tanto quanto eu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s