Morte no Elevador: Cenas com personagens no fundo do fosso resultam em ótimos momentos

Sílvio de Abreu, Glória Perez e agora Rosane Svartman e Paulo Halm mandam seus personagens pro andar de baixo; cinema também tem sua leva de despencados
Antônio Pedro de Souza

            No Dia de Todos os Santos um personagem de Bom Sucesso irá se encontrar com o Criador! Brincadeiras à parte, vai ao ar daqui a pouco a cena em que alguém cai no fosso do elevador da Prado Monteiro, editora da novela escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm. O suspense em torno da morte começou no capítulo exibido nessa quinta-feira, 31 de outubro, quando Willian deu uma festa para marcar sua saída da editora. Ele planeja ir com Pablo para o Caribe. No entanto, resolve contar a todos que Diogo e Gisele são amantes. Pouco antes, Diogo pergunta aos funcionários da empresa que faz manutenção nos elevadoras da empresa como funciona a trava de segurança, que não permite a abertura da porta caso o elevador não esteja parado no andar determinado. Desligada a trava, Diogo manda uma mensagem do celular de Gisele para Willian, propondo um acordo: dez mil dólares em troca do silêncio do jovem.

            Paralelo a isso, Pablo resolve sair da editora para comprar champanhe e Felipe decide ir embora, pois se desentendeu com Thaissa. A câmera focaliza apenas um braço e uma mão acionando o elevador e, depois, duas pernas andando rumo ao fosso. Um grito é ouvido e a cena congela. A pergunta dessa vez não é “quem matou?”, mas “quem morreu?”

            O mistério em torno da morte não durou nem um dia, já que o próprio Gshow, portal de entretenimento da Globo, divulgou por volta das seis da manhã de hoje que Felipe foi a vítima de Diogo. A morte do rapaz deixará a todos na editora desesperados, em especial Evelyn e Thaíssa, com quem ele se envolveu no princípio da trama.

            Mas não é de hoje que autores de novela eliminam seus personagens em elevadores. Sílvio de Abreu fez isso em duas ocasiões: Em 1995, na novela “A Próxima Vítima”, o personagem Cléber Noronha é uma das vítimas de Adalberto Vasconcellos. Na ocasião, todos os crimes tinham uma ligação com um assassinato ocorrido em 1968: Adalberto era amante de Francesca que era casada com Gigio. Num iate, Adalberto mata Gigio e Francesca compra o silêncio de várias pessoas. Em 1995, Adalberto passa a ser chantageado por uma das testemunhas e, então, passa a eliminar uma a uma. Cléber perde a vida quando tenta fugir do seu algoz. A porta do elevador se abre, ele se desequilibra e cai no fosso. A cena de seus sapatos voando enquanto ele cai é uma das mais emblemáticas da novela. Sílvio de Abreu usaria o mesmo artifício em “Passione”, 2010. Na ocasião, Fred resolve eliminar a secretária Myrna e sabota o elevador da Metalúrgica Gouveia. A secretária, então, despenca para a morte.

            Glória Perez eliminou a personagem vivida por Débora Falabella em “A Força do Querer” (2017) de modo semelhante. Irene, psicopata que infernizou vários núcleos, passa a ser perseguida por um grupo de personagens. A vilã entra em uma garagem e sobe vários andares. Sem ter para onde fugir e com medo de confrontar as pessoas a quem tanto fez mal, ela dá alguns passos para trás, perde o equilíbrio e despenca no fosso de um dos elevadores de carga.

            O cinema também já registrou um bom número de acidentados nos elevadores. Pra começar, em “O Elevador da Morte” (2001), várias pessoas perdem a vida ao entrarem – ou apenas se aproximarem – de um determinado elevador em um arranha-céu. Acontece que era feita ali uma malfadada experiência científica com biochip, o que fez com que o elevador desenvolvesse uma “vida própria” e causasse as mortes. Já em “Demônio” (2010), um grupo de pessoas fica preso em um elevador e logo descobrem a presença maligna de um demônio que mata alguém todas as vezes que a luz se apaga.

            Ainda no gênero sobrenatural, em “Damien: A Profecia II” (1978), um médico é partido ao meio no elevador para que a verdade sobre Damien não venha à tona. Tudo começa quando um grupo de estudantes é contaminado em uma fábrica de produtos químicos e vão parar num pronto socorro, mas Damien não sofre nenhuma intoxicação. Intrigado com o caso, um médico começa a investigar e descobre algo anormal no sangue do adolescente. Enquanto entra no elevador, Damien pressente o perigo que o ronda e as forças do mal agem: o elevador perde o controle e aumenta a velocidade. Quando para bruscamente, os cabos do freio são tensionados e cortam o carro, partindo o corpo do médico ao meio.

            O filme de ação “Velocidade Máxima” (1994) também traz um sequência eletrizante em um elevador sem freios. Na primeira parte do filme, várias pessoas são feitas reféns por um terrorista em um elevador. Desta vez, porém, não há mortes.

            Já em “Missão: Impossível”  (1996) a morte não é por queda, mas por esmagamento de baixo para cima! Um dos parceiros de Ethan (personagem vivido por Tom Cruise), tem como objetivo desbloquear portas e abrir passagens para que os agentes secretos cumpram sua missão. Para isso, ele fica em cima do elevador que deveria ficar parado. A máquina, porém, é sabotada e começa a subir velozmente, impossibilitando que o agente consiga escapar.

                Seja na TV ou no cinema, seja com queda ou esmagamento, momentos de tensão em elevadores rendem sempre ótimas cenas. Sobre Bom Sucesso, resta saber agora quem será a próxima vítima de Diogo ou se Gisele e Willian terão coragem de entregá-lo para a polícia. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos…

___
Imagem: Reprodução GloboPlay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s